Superando a crise em projetos de software

Está na moda agora falamos na crise econômica global e usarmos a desculpa da mesma para justificativa de todos os problemas. Até a construtora que atrasou a obra do meu apartamento em mais de 4 meses usou essa desculpa. Será que eu ficaria mais chateado se eles falassem algo diferente disso?

Eu costumo acompanhar as revistas Revista CEO Brasil editada pela PriceWaterHouseCoopers e a revista Mundo Corporativo editada pela Deloitte. Em ambas as publicações trazem matérias que apontam grandes oportunidades para as empresas da área de tecnologia.

As empresas passaram a focar mais na otimização dos processos de negócio e transparência das informações para tranqüilizar os investidores e nesses cenários sempre entram oportunidades de negócio ligadas à tecnologia que ao contrário estão crescendo e aproveitando essas novas oportunidades para vender novas soluções e dispararam na frente como as empresas que mais contratam mesmo em tempo de crise.

A crise pode ser dividida em vários momentos. O primeiro até dezembro 2008 que resultou em cortes para todos os investimentos congelando os contratos e praticamente paralisando várias empresas. Até o Zé da minha rua que vende cachorro quente foi afetado, pois o Antônio com medo da crise deixou de fazer o lanche no final da tarde.

Virou-se o ano em 2009 descobriu-se que a crise existe e por incrível que pareça maior que ela é a especulação gerada em cima. As empresas passaram então a repensar os processos e estão novamente entrando no ciclo prospectando e retomando o ritmo que deve está em sua plenitude de julho pra frente.

Quando falamos em projetos de software o assunto é mais extenso e o tema crise já está na pauta muito antes de falarmos nesse contexto mundial abortado anteriormente. E o problema está muitas das vezes relacionado a falta de investimentos em melhorias de processos e em inovação.

Para projetos de desenvolvimento de software é muito comum encontrar  situações em que é mais fácil comprar uma maquina de cafezinho doque investir na capacitação de um profissional.

Já passou o tempo em que desenvolver software era somente um “sisteminha”. Hoje o nosso usuário está mais exigente seja por prazo ou qualidade e ter um processo consistente se tornou um requisito e diferencial competitivo para as empresas desenvolvedoras de software.

Em função dessa busca por melhorias que temos a disposição um grande conjunto de metodologias como: SCRUM, MSF, CMMI , SOX que visam justamente apoiar o ciclo de desenvolvimento orientando a entregas mais rápidas e com qualidade.

Eu diria que a frase mais forte é informatizar a área de informática. Parece até estranho você que já resolveu problemas de negócio de toda a empresa falar em colocar um “ERP” para apoiar o seu ciclo de desenvolvimento. Mas esse é o caminho principal a seguir. Durante anos nos preocupamos com todas as áreas e esquecemos a nossa própria área.

Em outro artigo intitulado “Technology Forecast” é abordado à necessidade de ser ágil nos processos de negócio e usaram como exemplo clássico um fornecedor de antivírus que praticamente se reconstrói diariamente de acordo com as ameaças encontradas sincronizando as atualizações nos clientes.

Como você está observando esse é o momento para direcionarmos todos os esforços na informatização do ciclo de desenvolvimento da aplicação investindo em qualidade de software, colaboração e informações estratégicas para que tenhamos acompanhamento contínuo de todo o projeto. Dentro desse contexto de Application Lifecycle Management (ALM) que temos disponível a solução de Visual Studio Team System para apoiar o seu projeto com os recursos necessários na condução do sucesso.

[],
Ramon Durães
MVP, Especialista em Visual Studio Team System
Ramon trabalha diariamente na informatização de empresas que desenvolvem software