Que tipo de experiência você entrega?

Que tipo de experiência você entrega?

A tecnologia está mudando rapidamente e junto com ela estamos sendo imersos diariamente em um grande número de informações, redes socais e conhecimento em todos os cantos. Os usuários estão cada vez mais capacitados e exigentes por produtos que representam um diferencial no mercado.

A guerra dos preços mínimos com qualidade comprometida está sendo perdida para os produtos que entregam valor agregado e representam um diferencial conquistando a satisfação dos usuários que estão comprando.

O melhor exemplo atual na área de tecnologia é ditado pela nova Apple que se reconstruíu oferecendo oferta limitada de produtos apoiados por um alto grau de qualidade, um design inovador e uma experiência única que você obtém em qualquer contato com a marca. As vezes  acho que as pessoas estão comprando os mesmos apenas para colar no carro o famoso adesivo da maça para entrarem no “Club” social de proprietários de um produto da marca que tornou-se o “Cool”.

Inovar custa caro e envolve quebras de paradigmas. A Microsoft sabe muito bem isso quando lançou o primeiro sistema operacional para computadores pessoais e resultou nessa grande empresa que conhecemos hoje. Antes do lançamento do Iphone todo o grande mercado já sabia que o usuário buscava por um smartphone touch de qualidade e em uma ótima máquina mas tinham medo de criar o produto.  Aconteceu o mesmo agora com o kindler Liderado pela Amazon que antes da sua concorrência lançou a sua reinvenção do negócio oferecendo um leitor digital e agora com o Ipad da Apple evoluindo o livro digital para uma plataforma de entretenimento a Amazon lancou uma versão do Kindler para o Ipad.

E o que todos esses grandes exemplos tem a ver com todos nós? Perceba que somos hoje afetados diretamente por qualquer nova facilidade de tecnologia lançada, pois os usuários passam a nos cobrar por soluções similares e seguindo a mesma linha de experiência conforme o novo padrão que eles já vão rapidamente se adaptando.

Eu acho todo esse ciclo que estamos vivendo como TDB (Tudo de bom) por que nos incentiva a colocar em prática todas as idéias inovadoras que permitem valorizar a satisfação do nosso cliente final. Um ótimo caso de sucesso nessa nova experiência 2.0 é a empresa Zappos que foi fundada pelo brilhante Tony Hsieh e tornou-se líder na venda de sapatos usando comércio eletrônico sendo comprada pela Amazon.

Com um difícil produto de vender diante da imensa quantidade de opções e características pessoais de cada comprador que fez da Zappos com a sua politica de qualidade e satisfação máxima uma líder nos EUA em seu segmento.  Na Zappos você compra e devolve um produto com a simplicidade de um clique. Já teve caso histórico de cliente que ligou precisando de ajuda para comprar uma pizza e foi atendido com prontidão.

Um amigo deu um exemplo legal de um brinquedo “Insano” em um parque de diversões que ele esteve. Esse brinquedo era o mais disputado dente os outros pelo fato de entregar uma experiência diferenciada.

Agora mesmo terminando de escrever esse texto estava preparando um chá e comparei dois produtos diferentes. O primeiro estava com o sachê separado em uma embalagem individual plástica completamente isolada e outro sem essa proteção. O primeiro sachê por ser todo protegido oferece um sachê de mais qualidade apesar do baixo custo do mesmo. É uma experiência que observarei não somente no chá, mas nos outros produtos da mesma marca. Veja se isso não acontece no nosso dia a dia.

Eu procuro me inspirar nesses grandes exemplos que já conhecemos trazendo para a minha realidade seja com artigos, palestras, redes sociais ou na área de consultoria onde atuo fortemente com uma entrega diferenciada. Em todos os meus clientes nos trocamos grandes experiências muito além da consultoria apliando os contatos e promovendo novas oportunidades de negócio indo além da consultoria técnica oferecendo uma nova experiência em todos os pilares da empresa ligados ao desenvolvimento de software.

Participe nos comentários e até o próximo artigo!

[],
Ramon Durães